Dança do Bastão

A dança do bastão é uma dança folclórica árabe, e como a maioria das danças folclóricas é alegre e graciosa. Procurar se aprofundar neste tema pode acrescentar muito em sua dança do ventre.

As praticantes da dança do ventre não devem esquecer que os movimentos da dança são ligados a uma cultura, por isso da importância no repertório.

Então se você quer estudar um pouco mais e aprender movimentos novos, nesta última semana de julho em São Paulo ocorre o festival de dança do ventre “Mosaico Brasil Egito” no Centro Cultural Shanguilá, e a professora de danças Priscila Samra preparou uma aula especial sobre a Dança com Bastão, veja mais informações abaixo e no site oficial do evento.

Priscila-Samra-3189654155-1532487910739.jpg
Foto Divulgação

Serviço

Mosaico Brasil Egito

Aula tema: O Saidi e a influência do Tahtibi e do Dabke na Raks el Assaya.

Dia 25 de julho de 2018
Quarta – das 16h às 17h30
Local: Rua Gaspar Lourenco, 25 – Aclimação – São Paulo – SP
Mais informacões: http://www.mosaicobrasilegito.com.br

Por Renata Santana

 

 

Vamos testar seus conhecimentos gerais sobre danças árabes?

Equipe ADV

Slide1

Olá Pessoal,

Este é o primeiro Quiz do Portal “Acontece na Dança do Ventre”. Constantemente teremos novas seleções de perguntas pra você avaliar os seus conhecimentos sobre a danças árabes e todas as suas vertentes. Nosso proposito é instigar o seu interesse pelos estudos e saber também se você está por dentro de tudo o que ‘Acontece’ na dança do ventre.

Existem temas que são um pouco complexos, pois abrangem diversos aspectos da cultura árabe, e as verdades podem não ser absolutas, mas procuramos apresentar aqui as versões mais aceitas pelos estudiosos e profissionais.

Principais Fontes: Wikidanca | Memórias Globo | Glossário da DV Bailarina Suhei

Preparados?

[WpProQuiz 1]

 

 

Brasileiros podem viajar para os Emirados Árabes sem precisar de visto.

Após o acordo, ficam liberados a entrada, a saída e o trânsito dos cidadãos dos dois países por até 90 dias a cada 12 meses.

Se não todas, quase todas as bailarinas de dança do ventre sonham em conhecer os Emirados Árabes, e as que já foram sempre querem voltar. Afinal é um destino turístico de luxo que encanta a todos, e ainda mais as belly dancers. Agora a preocupação com o visto acabou, tornando a viagem menos burocrática.

A entrada em vigor da isenção de visto entre o Brasil e os Emirados Árabes Unidos ocorreu em 3 de junho, para turismo, trânsito ou visitas de negócios.

Com o acordo, as viagens de brasileiros para Dubai, Abu Dhabi e outros destinos dos EAU se tornam menos burocráticas, o que poderá atrair mais turistas e fortalecer as relações comerciais e de cooperação entre os dois países, de acordo com informações do Ministério do Turismo.

aerial view of city lit up at night
Foto: Aleksandar Pasaric on Pexels.com

Fontes: http://www.brasil.gov.br – Editoria Turismo

 

Por Renata Santana

Cuidados básicos com os figurinos de dança do ventre

Os figurinos de dança do ventre muitas vezes são um grande investimento. Para que eles tenham uma vida longa e outras pessoas também possam utilizá-los caso um dia você queira compartilhá-los, aqui vão algumas dicas sobre como cuidar das suas roupas, elaboradas pela bailarina Shaina Nur que também é proprietária do Atelier Fazendo Arte.

Confira o que Shaina diz que você NUNCA deve fazer:

DICAS.jpg

LAVAGEM:

As saias geralmente são do tecido musseline, ou mesmo que seja de outro tecido, a lavagem pode ser feita da forma convencional segundo a bailarina, mas se tiver algum bordado os cuidados devem ser redobrados, e a lavagem deve ser sempre de forma manual. Se você tiver alguma dúvida quanto ao tecido, se pode encolher ou ser danificado, leve a uma lavanderia especializada para esclarecer suas dúvidas.

Agora Shaina nos conta o passo a passo sobre como lavar as peças,  como os sutiãs e cintos que compõem sua roupa de dança do ventre (se for um vestido, utilize a mesma técnica):

♦ Se seu sutiã tem enchimento, remova, pois irá demorar mais tempo para secar. Lave o enchimento separadamente, eles não precisam de cuidados especiais.

♦ Mergulhe o sutiã e o cinto em um balde ou bacia com água morna e sabão de coco, tente manter apenas o tecido em contato com água, evitando que as pedras fiquem de molho. Esse processo não deve ultrapassar dois minutos.

♦ Utilize uma escova pequena macia de lavar roupas ou escova de dentes e esfregue somente os pontos de sujeira, em seguida enxágue completamente, garantindo que todo o sabão tenha sido removido.

♦ O próximo passo é envolver as peças em uma toalha e pressionar devagar até absorver boa parte da água, principalmente o excesso de água dos metais como strass, fechos ou ganchos.

♦ Deixe secar em um local ventilado e com sombra. Quando estiver completamete seco, coloque os enchimentos novamente se houver.

Se você optar por lavar seus figurinos em lavanderias, mostre aos responsáveis todos os detalhes do seu traje. Por mais que tenham experiência é bom lembrar que lantejoulas podem derreter com a exposição a solventes de limpeza ou se houver peças coladas, o cuidado deve ser ainda maior, pois a cola pode amolecer.

Diminua a frequência das lavagens utilizando as dicas abaixo:

Para acabar com o cheio de suor e perfume das roupas, o ideal é que após todas as vezes que o figurino for utilizado, mantê-lo exposto em um lugar arejado por pelo menos um dia. Aproveite para borrifar desinfetantes com ação bactericida, que possa ser utilizado em tecidos, desta forma você elimina boa parte das bactérias.

GUARDA-ROUPAS:

Procure guardar seu figurino em caixa de papelão, as sacolas plásticas não são recomendadas pois são pouco arejadas e podem ficar com cheiro de mofo. Uma dica para evitar o mofo é colocar pedaços de giz escolar dentro da caixa ou do armário, eles tiram o excesso de umidade do ar.

OUTRAS DICAS:

Transporte seu figurino sempre com muito cuidado, em sacolas separadas de preferência, quando houver mais que uma peça, esta é uma forma de evitar que as pedras ou cristais “enganchem” em outros tecidos.

Todo figurino  deve ser tratado com carinho. Isso vale para os seus e os que são emprestados a você.

Esperamos que aproveitem todas as dicas da Shaina Nur, mantendo seu figurino sempre com uma aparência de novo.

Shaina-Nur.jpg2_-2776864292-1526935854983.jpg
Shaina Nur – Foto: divulgação
Por Renata Santana/Shaina Nur

Dez motivos para amar sua professora de dança do ventre

 

Motivos_Amar.jpg
Alika Hanan, Renata Lobo e Kahina – Foto Divulgação

Nós que acreditamos que aprender a dançar transforma a vida das pessoas, queremos manifestar aqui o nosso carinho a todos as professoras de dança do ventre. Por isso, listamos aqui alguns dos motivos para amá-las. Ah e sabe quem ajudou a elaborar esta lista? Poderosas professoras de dança do ventre que já tiveram muitas professoras e tem motivos de sobra para amá-las. São elas Alika Hanan, Renata Lobo e Kahina, belíssimas professoras inspiradoras.

#1. Atenção especial. Por estar em contato frequente com as alunas, elas tem a oportunidade de acompanhar o crescimento de cada uma. Percebe as dificuldades, atende uma a uma, ensinando com carinho cada novo passo. Isso é muito amor!

#2. Cuidado e Paixão. As professoras de dança não apenas se dedicam ao ensino de uma certa arte, mas sim, em espalhar a felicidade que cada dum, tak e acordeon traduzem na música, e esse é um motivo para amá-las.

#3. Poder da dança. Elas vivênciam e apresentam o poder transformador que a dança exerce na vida das alunas.

#4. Transmite um universo poético, repleto de belezas. A dança é poderosa, ela une, encanta e cura e as professoras de dança do ventre te apresentam tudo isso.

#5. A dança liberta. A pessoa que passa a vida a ensinar a arte, empodera e liberta. Isso é amor, e temos que retribuir!

#6. Transfere seus conhecimentos. Essa frase faz todo sentido “É muito feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina”. Isso é amor.

#7. Ensinar é uma arte. Não é qualquer um que tem esse talento. Você pode ser expert em algum assunto e mesmo assim não saber transmitir seus conhecimentos e habilidades. Elas se preparam diariamente para chegar na sala de aula e oferecerem o seu melhor.

#8. Descobre talentos. O papel de um mestre dentro de uma sala de aula é poder direcionar o talento de cada pessoa que está ali para aprender.

#9 Experiências agradáveis. As professoras de dança do ventre são as que mais te incentivam a subir no palco e mostrar o que você aprendeu. Esta é uma experiência inesquecível.

#10. Ensina você a conhecer o próprio corpo. É com a ajuda dela que adquirimos o conhecimento de onde sai cada movimento e como torná-lo perfeito.

Por Renata Santana