BellyMamãe ajuda na conexão entre mãe e bebê durante e após gestação.

19/04/2018

Criado pela bailarina e professora de danças Liana Matos, o BellyMamãe é um método já disponível em várias cidades brasileiras e até fora do país.

Encontrar o equilíbrio e a conexão entre corpo e mente é um desafio pelo qual muitos passam durante toda a vida. E com a chegada da maternidade para a mulher este desafio pode ser ainda maior. De certa forma, o BellyMamãe para mães e gestantes surge com a proposta de ajudá-las nessa tarefa.

BellyMamãe é um método de aulas de dança do ventre voltado para gestantes, mamães e bebês que querem vivenciar essa arte milenar de uma maneira diferente. Ele foi criado pela bailarina e professora de danças formada pela Escola Técnica de Artes de São Paulo, Liana Matos, que ainda gestante, se deparou com as dificuldades em participar de turmas específicas de dança do ventre para suas necessidades naquele momento. Sem êxito ela percebeu que não somente ela, mas muitas mulheres não tinham esse suporte durante a gravidez e, posteriormente, no pós-parto.

Segundo Liana, as aulas desse método possibilitam às mamães estimularem seus bebês a partir da prática lúdica, física e sensorial aumentando ainda mais o vínculo entre os dois. E, ainda, eleva a autoestima feminina durante a gravidez e após a chegada do bebê, sanando quadros de melancolia e possível depressão pós-parto.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os bebês também dançam

 A aula é destinada a mamães e bebês e o objetivo é proporcionar o afloramento dessa relação a partir da dança do ventre em que, não somente a mãe é o foco da aula, mas os bebês se tornam protagonistas em muitos momentos. De acordo com Liana, além de possibilitar um momento divertido e afetuoso com o bebê, a mamãe recebe toda a atenção necessária depois do parto e uma atenção maior para esse novo corpo em descoberta.

Atividades de baixo impacto, a dança do ventre para gestantes possui nível de esforço leve e moderado. É fundamental para a saúde da mãe e do bebê, para que a atividade seja prazerosa e provoque bem estar. Qualquer pessoa, com liberação do médico obstetra e pediatra, pode fazer aulas. Mesmo nunca tendo feito aula de dança do ventre, visto que as aulas concetram-se no voltar o olhar para si enquanto Mãe e Mulher. Trabalhamos com a consciência corporal tendo a dança do ventre como o caminho a olhar para o Ventre tão evidenciado na gravidez e, no pós-parto, para realinhamento hormonal, autoestima e descartar a depressão. Diz Liana

IMG_9792
Foto: Divulgação

Formação para novos professores do método BellyMamãe

Em 2018 a idealizadora criou o Curso de Formação e Credenciamento no Método BellyMamãe, que tem como objetivo formar profissionais para atender esse público tão especial. Liana diz, que o processo de Formação Profissional no Método BellyMamãe vai além de um curso de transferência de conhecimento técnico e teórico da dança do ventre. É um programa que possibilita um momento único de atividade segura e saudável entre mãe e bebê.

O projeto engloba aulas presenciais e online para o curso de formação de professores. Para ser professor do método é necessário ter, no mínimo, 2 anos de experiência com dança do ventre, comenta Liana.

Em São Paulo, você pode encontrar aulas do BellyMamãe no Centro Cultural Shangrilá House e no ETAL – Terapias e Parto Humanizado.

Mais informações acesse o site www.bellymamae.com.br e saiba mais informações sobre o método.

Livro: Solo a Duas. Dança e Gravidez: Por Uma Abordagem da Fluência.

Em 2016, Liana que também é Mestra em Antropologia pela Universidade Federal de Sergipe, enquanto estava grávida realizava seu curso de Danças na Escola Técnica de Artes de São Paulo, e então decidiu por seu corpo e sua bebê em prol da pesquisa acadêmica, criando o livro “Solo a Duas. Dança e Gravidez: Por Uma Abordagem da Fluência”, que é fruto do Trabalho de Conclusão de Curso em Dança. O livro traz uma discussão inicial sobre o conceito de dança, a relação da dança com a gravidez, como essa relação é discutida no meio acadêmico a partir de leituras de artigos científicos e livros da área. O maior objetivo segundo Liana, é que o livro contribua na ampliação desse debate e auxilie mulheres, mães, professoras de dança e todos aqueles que se interessam pela área e que queiram trabalhar com esse público.

Por: Renata Santana